Final emocionante termina com fuga vitoriosa de António Carvalho

A penúltima etapa desta Volta a Portugal viu várias tentativas de fuga acontecerem nos primeiros quilómetros até que um numeroso grupo de 8 ciclistas conseguir ter liberdade por parte do pelotão. Falamos de Ángel Madrazo, Jon Irisarri, Gavin Mannion, Anthony Delaplace, Óscar Pelegrí, Luís Gomes, Marvin Scheulen e Joaquim Silva.



No pelotão, Nippo Delko Provence e W52-FC Porto nunca deram mais de 2 minutos à fuga, no entanto esta durou até aos 24 quilómetros finais, altura em restavam Ángel Madrazo e Jon Irisarri da fuga inicial, a quem se tinha juntado David Ribeiro.

Ricardo Mestre levou o pelotão a grande velocidade até à Serra da Arrábida, altura em que Luís Fernandes se mexia, com António Carvalho a juntar-se ao ciclista da Rádio Popular/Boavista, pouco depois.

Com Daniel Mestre e João Rodrigues no comando das operações na subida, o duo da frente esteve sempre debaixo de olho do grupo dos favoritos. Foi na rápida descida que conseguiu alargar a vantagem, chegando a ter 20 segundos de avanço. Um ataque de Alejandro Marque espevitou, ainda mais, a perseguição da W52-FC Porto que também metia ao trabalho Gustavo Veloso e Amaro Antunes.



A diferença diminuía mas a vitória estava na frente. Luís Fernandes foi o primeiro a arrancar para o sprint, António Carvalho colou-se na sua roda e, nos metros finais, passou para a frente, conquista o triunfo. Luís Fernandes foi 2º e o pelotão chegou tão em cima dos fugitivos que Luís Gomes foi 3º, ameaçando o 2º posto da etapa. Amaro Antunes foi 9º e segue na liderança, antes da etapa final.

, , , , , , , ,