Os primeiros 6 reforços da Bahrain-Victorious para 2023

Várias têm sido as equipas intensamente ativas neste mercado de transferências, casos da BikeExchange e Intermarché-Wanty que já trouxemos com 6 reforços para a nova temporada. Também a Bahrain-Victorious já anunciou 6 novas caras para a nova época, depois de um 2022 que não está a correr tão bem como outras temporadas. Os líderes estão a render, no entanto as segundas figuras não estão a aparecer ao mesmo nível e, como tal, é preciso renová-las. Depois de um ano onde apenas mudaram uma peça do xadrez, 2023 promete mais mudanças.



Até ao momento, foram anunciados 6 reforços, 4 deles abaixo dos 24 anos e todos do escalão Continental. Os mais experientes, acima dos 30 anos, vêm do World Tour. Passemos então a analisar melhor estas contratações.

Fran Miholjevic – Enorme talento croata que segue o seu percurso natural. A Bahrain-Victorious tem raízes croatas e o facto de vir da Cycling Team Friulli já fazia indiciar que não escaparia à equipa árabe. Contra-relogista puro, com 20 anos já foi campeão nacional da especialidade em todos os escalões (este ano foi em elites!), sendo que na Volta a Sicília, contra profissionais e equipas do World Tour, fez um solo fabuloso, vencendo uma etapa em fuga. É, também, o atual vice-campeão europeu de CRI, um diamante em bruto! Já está na equipa como estagiário, o que ajudará a sua adaptação.

Cameron Scott – 24 anos e com um palmarés mais discreto, o australiano é um sprinter que chega da ARA Pro Racing e que, tal como muitos do seu país, já se dedicou à pista, onde foi campeão do Mundo. Na estrada, já venceu uma etapa no Tour of Qinghai Lake, em 2019, e este ano triunfou no Memorial Philippe van Coningsloo.



Rainer Kepplinger – Austríaco de 24 anos que chega da Hrinkow Advarics Cycleang, uma das melhores equipas do seu país. Ainda recente no ciclismo, até há um par de anos dedicava-se ao remo, Kepplinger foi descoberto no mundo dos eSports e, desde que se dedicou à estrada já foi vice-campeão nacional de contra-relógio e venceu a Volta à Pequena Áustria, superando nomes importantes do calendário Continental.

Dusan Rajovic – O lema de que às vezes vale mais dar 1 passo atrás para dar 2 em frente confirmou-se com o múltiplo campeão sérvio (já venceu 3 títulos de contra-relógio e 4 de estrada). Rajovic corria na DELKO e, este ano, baixou ao nível Continental para representar a Corratec, onde já conseguiu 5 vitórias, incluindo um triunfo no Tour of Antalya. Com vitórias, ao sprint, na CRO Race e no Tour of Qinghai Lake, o talento de Rajovic é evidente desde muito novo e, finalmente, dá o salto para o World Tour.

Nikias Arndt – Entramos no campo dos veteranos com o alemão que provém da Team DSM, onde tinha passado toda a sua estadia no World Tour. Com 30 anos, Arndt tem tudo para ser uma peça fundamental da Bahrain-Victorious, não nos admirávamos nada que integrasse o comboio de Phil Bauhaus e a equipa de clássicas. Muito completo, o germânico consegue fazer de tudo um pouco, desde sprint a clássicas, passando pelo contra-relógio, já conseguiu triunfos no Giro, Vuelta, Volta a Polónia e Dauphiné.



Andrea Pasqualon – O mais experiente de todos, já com 34 anos. Depois de 6 temporadas na Intermarché-Wanty, onde evoluiu muito como ciclista, tornando-se uma figura importante da mesma, o transalpino decide mudar de ares. As oportunidades não devem ser tantas, estará mais tapado nas clássicas e nos sprints, no entanto Pasqualon traz muita experiência e, tal como referimos com Arndt, será fundamental na preparação do sprint (atualmente é o principal lançador de Alexander Kristoff) e nas clássicas do empedrado (8º na Omloop e 12º na Dwars door Vlaanderen este ano).

, , , , , , , , , , ,